Deus lhe dá duas alternativas

Pelo título pode-se supor que o texto presume que Deus existe, uma vez que Ele não poderia nos dar alternativas se não existisse. Mas, “vamos devagar com o andor”, como diria o padre, preocupado com o seu santo de barro, ou “vamos por partes”, como diria Jack, o estripador, preocupado com o tamanho do freezer.

A imagem ou significado de Deus pode variar muito entre as pessoas que nele acreditam, indo desde o velhinho bondoso de barbas brancas até um ente consubstanciado pela própria natureza ou partes dela. Pode constituir o universo todo ou simplesmente estar na consciência de cada um. De qualquer modo, importa menos como ele possa ser entendido e mais a fé que as pessoas têm em algo que dê sentido à sua vida.

Aos crentes, essa fé não precisa de explicação, pois a sua explicação está na própria existência de Deus. Os não crentes, por outro lado, estão sempre à procura de uma explicação para a fé dos que acreditam em Deus. Cabe a eles o ônus da prova da não existência de Deus. Não que isso seja uma regra a eles imposta, mas sim uma preocupação latente, provocada por um fenômeno de massa – que é a fé na divindade – que não pode passar desapercebida por ninguém. Essa busca permanente por uma explicação da fé já gerou muitas hipóteses e a principal e mais abrangente, acho eu, é a seguinte: a entidade divina foi criada pelo homem para suprir as suas necessidades de:

  • Proteção contra os perigos e infortúnios da vida;
  • Entendimento do mundo à sua volta;
  • Perspectiva de uma vida (paraíso) após a morte.

Essa explicação não é recente, ao contrário, é milenar. Mais recentemente, entretanto, com o avanço da ciência, uma outra necessidade foi adicionada àquelas acima: a necessidade de extravasar um sentimento de deslumbramento diante do universo e do fenômeno da vida, provocado pelo descobrimento de alguns detalhes de sua natureza e funcionamento. Esse deslumbramento, via de regra, leva o indivíduo a creditar a beleza e a complexidade da natureza à existência de um ente criador disso tudo. Cito alguns exemplos de fatos que levam a esse deslumbramento:

  • O entendimento das leis da natureza e da sua imutabilidade;
  • A compreensão da improbabilidade da vida num universo hostil;
  • A descoberta dos segredos do DNA e o entendimento do funcionamento geral de um organismo vivo;
  • A explicação do mecanismo da seleção natural e da evolução das espécies;
  • O conhecimento da constituição da matéria elementar;
  • As descobertas cosmológicas acerca do universo;
  • A relação misteriosa da matemática com as leis da natureza; e
  • O desafio em entender como funciona a consciência humana.

Faço aqui um parêntesis para relatar uma passagem que dá bem a ideia de como esse deslumbramento pode levar ao fortalecimento da fé em Deus. Recentemente consultei uma jovem médica para reclamar da minha perda progressiva de audição. Durante a consulta, ela mostrou-me em seu laptop, entusiasmada, como funciona o sistema auditivo do ser humano. Por meio de um software bem elaborado podia se ver a animação de um sistema auditivo funcionando, com seus componentes, martelo, bigorna, estribo, cóclea e outros interagindo para produzir no cérebro a sensação de ouvir. Ao final da apresentação ela fez a seguinte exclamação/interrogação: “Isto não é uma prova definitiva de que Deus existe!?” Imagino qual não seja o seu orgulho em trabalhar como uma restauradora de uma obra divina, pois acho que é isso mesmo o que passa por sua cabeça. O deslumbramento com a beleza e a complexidade do sistema auditivo certamente ajudou a fortalecer a sua fé em Deus.

É difícil acreditar que o acaso possa ter produzido coisas tão complexas como os organismos vivos e, no entanto, a teoria de Darwin mostra que sim, pode. Por outro lado, paradoxalmente, essa mesma teoria permite que nos deslumbremos com esse fenômeno da seleção natural que resultou em seres como o H. sapiens, o que leva novamente à ideia de Deus. Definitivamente, esse deslumbramento com as coisas da natureza é uma das razões – além das citadas no início – para a crença em um Deus Criador.

Enfim, voltando à questão do primeiro parágrafo, sem ser necessário presumir que Deus existe ou não, o fato é que a ideia de Deus está na cabeça de todos, sem exceção, seja daqueles que acreditam nele ou daqueles que estão permanentemente procurando uma explicação para a fé dos demais. Não há uma terceira categoria de indivíduos, ou seja, a daqueles que são indiferentes à ideia de Deus.

Anúncios

6 comentários sobre “Deus lhe dá duas alternativas

  1. Vamos à minhas humildes considerações:
    1. Primeiro é impossível provar a não existência de Deus. Isso não quer dizer que estou dizendo que Ele existe. Apenas afirmo que não dá para provar que Ele não existe. Como? Vamos pegar um exemplo bem simples: as descobertas de Darwin – os animais atuais são fruto de uma longa evolução, portanto: isso não significa que não precisamos mais acreditar que Deus existe – bobagem – quem garante que não foi Deus que “projetou” tudo isso, muito antes da Terra existir.
    2. Realmente concordo que Deus foi “criado” para servir de “base” para o povo. Com Deus já era difícil, sem Ele seria uma loucura só. Isso também não prova nada.
    3. Mas afinal em que acredito:
    • Existe algo que coordenou e ainda coordena o universo. O que é, como é, quais suas qualidades, poder, estrutura, como fez o seu trabalho, seu histórico etc etc e etc, não tenho a mínima ideia. Tudo o que falam dele não dá para ter certeza.
    • Acredito em Jesus Cristo, na existência de espíritos que estão a nossa volta, alguns nos ajudando outros só atrapalhando. Se os espíritos não estão aqui a nossa volta então tem MUITA coisa que precisa ser explicado.
    • Como regra de vida, procuro tocar a minha vida da melhor forma possível e não atrapalhar ou prejudicar a vida dos outros. Na dúvida, fazer caridade pode valer muito para o nosso bem estar.
    • Acredito em reencarnação. Temos muitas evidências que isso seja verdade. Assim acredito que quando eu morrer, este corpo para servir de comida para a bicharada. E meu espírito vai em frente.
    • Bem, para que tudo isso em que acredito, uma inteligência, bilhões de anos na nossa frente deve ter “projetado” tudo. Podemos chamá-la de Deus.
    Um abraço
    Cinquini

    • Ayrton,
      Em tempo. Você tem razão ao afirmar que não tem sentido provar que Deus não existe. Ao invés disso, eu deveria ter dito que cabe aos que não acreditam em Deus provar que a ideia de Deus não é necessária para explicar o mundo em que vivemos. Faz mais sentido assim?
      Abs. Dias

  2. BCD,

    Alternativa a

    Creio nEle e que Ele criou tudo – o Universo, você, eu, o Lula, todos os seres humanos, além de muitas outras coisas.

    A única dúvida que eu tenho é se ele é tão moralista quanto dizem…

    O abraço,

    Ary

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s