O Brasil é o país do futebol?

Depois da última copa do mundo já tem gente dizendo que o Brasil não é mais o país do futebol. Eu já achava um exagero dizer que ele era. Agora, mais ainda. É claro que essa expressão se originou do sucesso que o país teve no futebol e dos grandes jogadores que surgiram, e ainda surgem, no nosso país. Os estrangeiros sempre falam do futebol bonito e alegre que se joga aqui, do gingado do jogador brasileiro e de tantas virtudes que o jogo de bola tem por aqui. Talvez eles tenham razão. Mas, daí a taxar o Brasil de país do futebol tem um salto inexplicável. Os Estados Unidos, então, seriam o país do basquete? A Rússia, o país do xadrez? A Alemanha, o país da fórmula 1? Acho que nenhum deles é assim chamado, embora todos sejam bons nos respectivos esportes.

Por que acho essas denominações exageradas? Porque não há qualquer justificativa para um país se apoderar de um esporte que seja praticado tão bem, ou quase tão bem, por outros países. Seria compreensível que o Brasil fosse chamado de país do futebol se esse esporte só pudesse ser praticado aqui ou somente por brasileiros. De que maneira? Por exemplo, se somente os brasileiros tivessem duas pernas e os estrangeiros uma só. Ou, sendo menos radical, se somente nós tivéssemos pés no final das pernas e os estrangeiros fossem todos cotós, como naquela brincadeira de perna de pau. Aí sim, poderíamos perguntar: quem, além dos brasileiros, é capaz de dar um passe de trivela, bater uma falta por cobertura, dar uma cavadinha por cima do goleiro? Além do mais, sem ter pés, ninguém poderia se apoderar do termo futebol, que quer dizer pé-na-bola. Reinaríamos, então, absolutos.

Excluindo-se essas possibilidades, também teríamos direito ao termo “país do futebol” se esse esporte só pudesse ser praticado no Brasil. Por exemplo, se somente aqui fosse possível ter clubes e federações que não precisam de administradores, campeonatos que não precisam de calendário e regras fixas, jogadores que não precisam de salários regularmente e torcedores que fazem desse esporte uma verdadeira batalha, sem deixar a rivalidade perder intensidade. Infelizmente essas condições estão também presentes em outros países e é mais uma razão para o futebol não ser considerado só nosso. Alguns países estão, inadvertidamente, mudando essas condições ao colocar administradores nos clubes, exigir que os clubes cumpram as mesmas obrigações das demais empresas, punir severamente os torcedores bagunceiros, estabeler calendários imutáveis. Esses países correm o risco de degradar o nível do seu futebol até um ponto em que não consigam mais vencer nenhuma copa do mundo e, no limite, transformar o seu jogo em outro tipo de esporte. Azar deles se continuarem nesse caminho. Se outras nações os imitarem pode ser que no final o futebol de verdade acabe por ser praticado somente no Brasil.

Se você se convenceu por esses argumentos que o Brasil não pode ser chamado de país do futebol, ótimo. Se não se convenceu, melhor ainda, porque esses são argumentos de um cara que está com uma inveja danada dos que ficaram campeões.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s