Os deuses estão brincando

A ideia de multiversos é uma das mais extravagantes da ciência. Segundo ela, existe uma infinidade de universos fazendo companhia ao nosso, sem que um possa fazer contato com outro. Existem várias versões dessa teoria que ainda não tem qualquer evidência para confirmá-la. No entanto, ela tem que ser levada a sério porque cientistas renomados – como Stephen Hawking – acreditam que ela possa ser confirmada algum dia. (Leia aqui um artigo recente da revista Scientific American sobre este assunto. Leia, também, outros artigos sobre o assunto aqui neste blog.)

Eu acredito nesta história e, depois de muito refletir, tenho uma explicação plausível para ela. A explicação é que existem muitos deuses e todos eles, poderosos que são, têm a capacidade de criar o seu próprio universo. Criar vida também é uma tarefa fácil para esses seres transcendentais. Vida inteligente é mais difícil, mas eles sabem lidar com isso, também. Já vida inteligente sustentável, isto é, que sobreviva indefinidamente, é um desfio para todos eles.

Assim, eles estão engajados numa espécie de competição. A competição entre os deuses é para saber quem consegue criar vida inteligente que dure por mais tempo, cada um utilizando seu próprio universo como laboratório. Como regra básica, as civilizações de universos diferentes não podem fazer contato entre si. Portanto, cientistas, desistam de pensar em buracos de minhoca ou outros mecanismos de comunicação entre universos! Eles nunca poderão funcionar.

Os deuses conseguem registrar o instante exato em que o primeiro ser inteligente é criado e aquele em que o último desaparece, em qualquer universo. Como a vida inteligente surge em momentos diferentes em cada universo, o vencedor não será aquele em que a vida inteligente desaparece por último, mas sim aquele em que ela tenha durado por um período maior. Portanto, quando todos os universos, exceto um, tiverem as suas civilizações extintas, é necessário esperar até que a vida se extinga neste último, para declarar um campeão ou, então, esperar que o tempo de sobrevivência da vida inteligente nele ultrapasse o maior tempo de duração entre as vidas já extintas, caso em que este último será declarado campeão. Nesse momento, os universos não terão mais utilidade e poderão ser descartados, mesmo aquele que deu a vitória ao seu criador.

Nosso time já passou por várias ameaças e estamos constantemente colocando em risco a vitória do nosso Criador. A não ser que existam outras civilizações em outras galáxias, com melhores estratégias de sobrevivência, parece que o nosso time não é favorito para ganhar a competição. O apocalipse faz ronda em nosso universo.

Nesse cenário, qual é, então, o propósito da vida? Simplesmente prolongar a existência da civilização o máximo possível para dar a vitória ao nosso Deus? É óbvio que não é só isso. Mais importante do que isso é procurar construir uma civilização exemplar que surpreenda o nosso próprio Deus. Assim, quem sabe, Ele nos inclua em outra das suas próximas brincadeiras.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s