Tio Petros e a conjectura de Goldbach

         O título acima é de um livro escrito por Apostolos Doxiadis que me foi emprestado pelo filho de um amigo, leitor deste blog. É uma história de ficção, com alguns personagens reais, sobre um assunto que tem muito a ver com os temas aqui tratados, e que me empolgou a ponto de comentá-la neste blog. Não vou contar a história para não estragar o prazer de quem quiser ler o livro. Vou apenas comentar algumas passagens que dão uma ideia geral do roteiro.

         O enredo trata de um matemático, tio Petros, que dedicou a sua vida a provar a conjectura de Goldbach. Em matemática, uma conjectura é uma afirmação que ainda não foi provada; todos os fatos conhecidos (exemplos) atestam a favor da conjectura, mas não se tem certeza que ela nunca será contrariada por algum exemplo exibido por um desmancha-prazer. A conjectura de Golbach diz que: qualquer número par maior do que 2 é a soma de dois números primos. Exemplos: 4=2+2; 6=3+3; 8=3+5 etc. Ela foi enunciada em 1742 e até hoje ninguém conseguiu provar que é verdadeira, isto é, que vale para qualquer número par.

         O autor do livro nasceu na Austrália e foi criado na Grécia, tendo feito um curso universitário de matemática antes de se dedicar ao cinema e à literatura. Ele tem, portanto, o perfil para captar as nuances da vida acadêmica de um matemático e colocá-las numa história de ficção. E ele fez isso com maestria nesse livro.

         Petros Papachristos, ou tio Petros (porque a história é narrada pelo seu sobrinho), é considerado a ovelha negra de uma família de homens de negócio por ter se dedicado à matemática ao invés de seguir a profissão de seu pai e de seus irmãos. Como matemático de grande talento, demonstrado desde a infância, ele resolveu se dedicar a resolver um dos grandes problemas matemáticos ainda sem solução e escolheu a tal conjectura de Goldbach.

         Em sua caminhada para provar a conjectura ele cruza com outros matemáticos famosos (estes reais), como Kurt Gödel, Alan Turing e G. H. Hardy, que acabam tendo grande influência em sua vida. Os dramas pelos quais tio Petros passa, em sua obstinada busca de uma prova para a conjectura, são descritos de forma habilidosa, pelo autor, fazendo o leitor sentir os prazeres de uma descoberta genial tanto quanto as decepções de uma tentativa fracassada.

         O autor descreve bem a intolerância da família para com a profissão do tio Petros, contrapondo as profissões que têm alguma utilidade (segundo a família) com a de professor, escolhida por ele. “É necessário traçar metas atingíveis para as nossas vidas”, diziam seu pai e irmãos, não acreditando que Petros considerasse uma meta atingível demonstrar a conjectura.

         Outra passagem interessante é a explicação que um colega de Petros, também matemático, dá para os problemas mentais a que geralmente são acometidos os gênios, seja nas ciências ou nas artes ou em qualquer outra área. Segundo ele, essas pessoas chegam demasiadamente perto da verdade e esse sentimento é muito forte para que suas mentes possam suportar, “…como mariposas, ficam muito encantados com a luz brilhante, chegam muito perto, queimam suas asas e morrem”.

         Trata-se de um livro simples, bem escrito, que vale a pena ser lido por matemáticos e não matemáticos. É para ler num só fôlego. Se você já leu deixe seu comentário aqui.

         Quero agradecer a alguns amigos, leitores deste blog, que deduziram o meu gosto em literatura (é claro, dei algumas pistas nos artigos que publiquei) e me indicaram livros interessantes. Em primeiro lugar, Artur Coutinho (filho) que me emprestou o Tio Petros. Também José Falcete que indicou-me Big Bang: a origem do universo, de Simon Singh, que já comprei e estou lendo, e gostando muito. Patrícia Fronzaglia, que indicou-me A linguagem de Deus, de Francis Collins, que já comprei mas ainda não li. Por favor continuem mandando sugestões.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s